A Rede de Universidades da Terceira Idade (RUTIS) prepara-se para lançar um computador pensado para os mais velhos. Inicialmente, o modelo vai estar apenas disponível para os alunos das Universidades Seniores e, a partir de Março, para qualquer pessoa com mais de 50 anos.
“Não queremos colocá-lo (já) no mercado, porque o preço iria subir. Ainda estamos a acertar alguns detalhes, mas custará menos de 500 euros”, explicou à agência Lusa Luís Jacob, presidente da RUTIS.O projecto, anunciado em Junho, foi desenvolvido pelas Universidades Seniores, em parceria com a Microsoft, JP Sá Couto (responsável pelos “Magalhães”) e pela empresa de informática Inforlândia. Vai ser apresentado hoje (4 de Novembro) no Congresso Mundial de Envelhecimento Activo, em Santarém.“Os nossos alunos ouviram falar no Magalhães e no e-escolas e pediram para ter um computador”, explicou Luís Jacob.O ecrã deste computador terá 15 polegadas (um tamanho frequente em muitos portáteis, mas substancialmente maior que o do Magalhães) e teclas mais espaçadas do que é habitual. “Pensávamos que seria adequado um ecrã maior, com 17 polegadas, mas os testes que fizemos indicaram-nos que os idosos preferiam um ecrã mais pequeno. Caso contrário, o computador também seria maior e mais pesado”, observa Luís Jacob.Para além disso, existe a possibilidade de ter um rato especial: “É um rato maior, com o molde de uma mão, mais fácil de agarrar, porque alguns idosos têm problemas que tornam difícil manusear os ratos normais”.O computador terá ainda conteúdos para seniores – um curso de informática, um software para quem dificuldades de visão e links directos para sites de interesse para os mais velhos – e a RUTIS também está a estudar a possibilidade de compra a prestações.(Público/LUSA)
http://www.rutis.pt/cgi-bin/reservado/scripts/command.cgi?naction=10&newsid=EkVZkAkkAFYSixIVum