PEP2BRAINSelected peptides as drug candidates directed to pain and neurodegeneration Prioridade Temática: FP7-PEOPLE-2007-3-1-IAPPTipo de Projecto: Marie Curie Industry-Academia Partnerships and Pathways (IAPP)Duração: 48 meses (inicio a 1 de Março 2009)Orçamento: 660.000 Eur
O que é a dor? Aparentemente simples, a resposta começa desde o início a mostrar dificuldades. A dor de quem? A dor imediata? A dor que se mantém? A dor física?
A tentativa de resposta revela as dificuldades, os paradoxos e a subjectividade de uma questão que necessita ser abordada por vários lados, se pretendemos de alguma forma respondê-la.
Pode-se classificar a dor em dois tipos base, a dor aguda e a dor crónica.
A dor aguda é em geral uma dor de alerta, e que consequentemente é, de forma paradoxal, benéfica. Dá sinal de uma situação especial e grave. Uma traumatismo, uma apendicite, uma queimadura, uma ruptura de ligamento, etc... É uma auxiliar preciosa para quem tem que diagnosticar uma doença ou condição médica. A ausência do mecanismo da dor, patologia raríssima, é algo que provoca enormes dificuldades na vida de quem a sofre, conduzindo a uma esperança de vida diminuída. Há também outras dores agudas relacionadas com procedimentos médicos ou com o parto, que se procuram evitar sempre que possível.
http://www.dor.biochemistry-imm.org/