Investigadores do Departamento de Oceanografia e Pescas (DOP) da Universidade dos Açores identificaram e capturaram três exemplares de uma espécie de peixe (Benthocometes robustus) que, até agora, não estava referenciada no arquipélago. A presença desta espécie, baptizada como Abadejo-cometa, nunca tinha sido confirmada nos mares dos Açores, embora alguns estudos efectuados em 1993 e 1997 tivessem assinalado como “duvidosa” a sua presença.
Segundo o DOP, o facto de esta espécie não ter sido registada nos mares açorianos anteriormente pode dever-se ao conhecimento limitado que há sobre a fauna dos fundos e à dificuldade em capturar esta espécie de peixe com os métodos de pesca tradicionais. A descoberta ocorreu durante a campanha científica “Crustáceos”, dirigida aos camarões de profundidade e realizada durante o Verão no âmbito do projecto “Condor”, um dos bancos submarinos utilizados pela investigação marinha. Esta espécie de peixe pode ser encontrada entre os 200 e os 1600 metros de profundidade e deverá estar associada a comunidades de corais de profundidade. O Abadejo-cometa é aparentemente raro em toda a sua área de distribuição, que abrange o Mediterrâneo, as Canárias e algumas regiões na costa noroeste de África, podendo também ser encontrado nas Caraíbas, na costa americana, no Atlântico Sudoeste e no Brasil.